Peixes, frigideiras e mercado

Um casal, para quebrar a monotonia do casamento, foi pescar. Chegando ao rio, escolheram um bom poço, boa isca, boa sombra, tranquilidade. É sempre importante fazermos bem nossas escolhas.

Depois de algum tempo perceberam que não estavam sozinhos, aliás, nunca estamos sozinhos; havia um outro pescador que pela aparência era um ribeirinho: pessoa simples, roupas mais simples ainda, como tantas pessoas que encontramos pela vida.

Mas um fato no pescador começou a incomodar o casal: cada peixe que ele pescava, media-o cuidadosamente, se fosse maior que seu palmo, soltava o bichinho no rio, se menor que o palmo, guardava-o com satisfação.

Não aguentando de curiosidade, se aproximaram do homem e lhe perguntaram por que ele fazia exatamente o contrário do que todos faziam: guardava os peixes pequenos e soltava os grandes. Para espanto do casal, o matuto respondeu:

— “Seguinte, eu moro aqui pertinho e vim buscá meu almoço; eu só tenho uma frigideira pra fritá meus peixe, e ela só mede um palmo, por conta disto, eu tenho que sortá os peixe grandi, porque num cabe nela”.

     Trazendo para nossas vidas:

  • Quantos companheiros de várias profissões eu tenho encontrado pela vida afora, que tem atitudes parecidas com a do matuto desta história: perdem incontáveis oportunidades na vida, por terem cultivado uma visão míope de suas capacidades e das oportunidades.
  • São aqueles que deixam passar por entre os dedos as grandes oportunidades e preferem ficar com as pequenas, as insignificante.
  • São também aqueles que lamentavelmente sempre tem um boa desculpa para disfarçar a origem de seus fracassos e de suas derrotas.
  • São de igual forma aqueles que se comprazem em culpar os outros: as empresas, o governo, a crise, os clientes, os gerentes e até mesmo Deus. Mas nada fazem para mudar, não investem em si mesmos, não estudam, não leem, continuam com suas velhas e pequenas frigideiras… de apenas um palmo.
  • Precisamos agir, buscando sempre a atitude de querer agir.
  • O rio da vida com sua generosidade, é como o mercado: está lá, à espera de cada um de nós, para buscarmos suas riquezas.
  • Precisamos aumentar nossas frigideiras, ampliando nossos horizontes, nossos conhecimentos, nossas atitudes de querer fazer.
  • É de suma importância nos adequarmos ao tamanho do mercado, aumentando nossas reais capacidades, evitando desperdícios e perdas.

Numa pescaria, assim como na vida, quanto maior for o nosso peixe, muito mais gente poderá se beneficiar dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>