O segredo do pistoleiro

Esta história eu ouvi do saudoso Comandante Rolim, então presidente da TAM. Ele contava que havia em um determinado lugar do interior, um jagunço muito famoso por sua vasta lista de “serviços” realizados.

 O homem tinha uma aparência normal, se vestia muito bem e era gentil com todos; fato que permitiu que certo dia um curioso lhe perguntasse como é que ele conseguia se encontrar uma pessoa, matá-la à sangue frio, sem nenhum motivo, sem que ela jamais lhe houvesse feito qualquer mal.

Ao que o jagunço respondeu:

— Não é assim tão fácil como lhe parece, seu moço, eu tenho cá comigo um segredo. Vou lhe contar: ao receber a encomenda de um “serviço”, eu me aproximo da vítima e começo a vigiar todos os seus passos por um período de uns 30 dias. Todas as vezes que eu a vejo, começo a falar para mim mesmo:

 — Esta pessoa, futuramente, poderá matar meus filhos, aborrecer minha esposa, prejudicar-me em meus trabalhos, poderá ser meu inimigo, enfim, é uma pessoa que não merece viver, é uma séria ameaça à minha vida e de minha família.

 Continuou o jagunço:

 — Diariamente, vou alimentando um ódio tão grande pela pessoa, de forma que quando eu a mato, não tenho nenhum arrependimento. Este é meu grande segredo. Concluiu o homem.

Moral desta história: Cuidado com os pensamentos com os quais você alimenta sua mente diariamente. Você poderá alimentar o ódio ou amor pelas pessoas, só dependerá de você. Mas, saiba que os frutos, também dependerão de sua decisão.

Alimente seu amor pelas pessoas e Por favor, seja feliz!

 

Com abraços, Luiz Arantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>