O verdadeiro valor das pessoas

Fiz uma experiência em uma de minhas palestras, sabendo que não fui o primeiro a realizar tal façanha, mas o que importa é o que poderemos aprender com ela.

           Numa sala com aproximadamente 400 pessoas, comecei a palestra mostrando uma cédula de R$ 20,00 (vinte reais) e fiz uma pergunta:

— Quem quer esta nota de R$ 20,00?

Várias mãos se ergueram demonstrando interesse em ganhá-la. E continuei:

— Realmente darei esta nota a um de vocês, mas antes me permitam fazer uma coisa.

Assim falando, amassei a nota em uma das minhas mãos e voltei a perguntar aos presentes:

— Quem ainda quer esta nota?

As mãos continuaram erguidas, atestando a vontade de cada um.

— E se eu fizer isto com esta cédula? Perguntei, deixando a nota cair no chão e pisando nela, amassando-a e sujando-a.

Todas as mãos continuaram da mesma forma, ninguém havia recuado.

Aproveitando o momento, comecei meu assunto, pedindo-lhes que aprendessem com aquela experiência, fazendo uma analogia entre aquela cédula e a vida de cada um dos presentes. Eu, então, lhes disse:

— Meus caros amigos, não importa o que eu faça com esta nota, todos vocês continuarão querendo-a, porque ela não perde o seu valor; mesmo estando amassada e suja continuará tendo o seu valor de R$ 20,00.

Ainda me lembro de companheiros concordando com minhas palavras, tentando em vão conter a emoção que invadia o coração.

Amigos, isto também acontece conosco. Quantas vezes, somos amassados, pisoteados, ficamos sujos, imundos em função de atitudes de outras pessoas, em vários ambientes e circunstâncias? Nossa primeira reação, em muitos casos, é a de nos desvalorizarmos, acabando com nossa autoestima. Mas, a exemplo da experiência com a cédula, nosso valor continuará sendo o mesmo. Se tivermos em mente este pensamento e esta crença, sairemos de tais situações, ainda mais valorizados, mais fortalecidos.

Não importa como estamos: sujos ou limpos, bonitos ou amassados, nosso valor não é alterado e tampouco nossa importância, pelo exterior.

E se você exerce a função de líder, independe da área profissional ou familiar, cuide para não amassar, pisotear, sujar seus liderados; faça o contrário, elogie, valorize as virtudes de cada um.

Luiz Arantes.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>